sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Detento gasta R$ 2,4 mil por mês; aluno do ensino médio, R$ 2,2 mil ao ano


 A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Cármen Lúcia, afirmou ontem que um preso custa 13 vezes mais do que um estudante no Brasil. A declaração foi feita durante o 4º Encontro do Pacto Integrador de Segurança Pública Interestadual e da 64ª Reunião do Colégio Nacional de Secretários de Segurança Pública (Consesp), em Goiânia (GO).

“Um preso no Brasil custa R$ 2,4 mil por mês e um estudante do ensino médio custa R$ 2,2 mil por ano. Alguma coisa está errada na nossa Pátria amada”, afirmou. “Darcy Ribeiro fez em 1982 uma conferência dizendo que, se os governadores não construíssem escolas, em 20 anos faltaria dinheiro para construir presídios. O fato se cumpriu. Estamos aqui reunidos diante de uma situação urgente, de um descaso feito lá atrás”, lembrou a ministra.

As informações foram divulgadas pelo CNJ. No evento, Cármen Lúcia afirmou que a violência no país exige mudanças estruturantes e o esforço conjunto de governos e da União.

“O crime não tem as teias do Estado, as exigências formais e por isso avança sempre. Por isso são necessárias mudanças estruturais. É necessária a união dos poderes executivos nacionais, dos poderes dos estados, e até mesmo dos municípios, para que possamos dar corpo a uma das maiores necessidades do cidadão, que é ter o direito de viver sem medo. Sem medo do outro, sem medo de andar na rua, sem medo de saber o que vai acontecer com seu filho”, disse.

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Jatene é um dos governadores mais ricos do Brasil

 Os dados sociais e econômicos colocam o Pará como um dos Estados mais sofridos do País, com péssimos índices de Educação, Saúde, Segurança, Saneamento e desenvolvimento hmano. O governador, por outro lado, vive muito bem, obrigado. Dono de um patrimônio declarado de R$ 3,2 milhões, Simão Jatene (PSDB) figura como o sexto governador mais rico do Brasil, em levantamento divulgado pela revista Exame.

Dos 27 governadores do País, 13 declararam possuir patrimônio superior a R$ 1 milhão. Ou seja, são milionários. Entre eles, está o riquíssimo governador paraense, dono de - vale repetir - R$ 3,2 milhões. A fortuna de Simão Jatene inclui um apartamento de luxo (no valor de quase R$ 1 milhão), casas, aplicações financeiras, dinheiro em contas bancárias, títulos de clube, carros, joias, barco e jet ski. O que o povo paraense gostaria de saber é como o governador conseguiu acumular patrimônio tão grande.

Aos 67 anos, Jatene teve toda a sua carreira como servidor público. Foi professor e está no terceiro mandato de governador. Como secretário de planejamento do Governo Almir Gabriel, comandou a privatização da Centrais Elétricas do Pará (Celpa), vendida por R$ 400 milhões. Atualmente, Jatene responde a uma ação no Superior Tribunal de Justiça (STJ), acusado de corrupção pelo Ministério Público Federal (MPF). Ele teria recebido R$ 16,5 milhões da Cervejaria Paraense (Cerpasa). Parte do dinheiro teria abastecido o caixa 2 da sua campanha eleitoral. Em troca, a Cerpasa recebeu benefícios fiscais do Estado.
(DOL)

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

CORRUPÇÃO EM PARAUAPEBAS GANHA DESTAQUE NA WEB



A política em Parauapebas tem se destacado por matérias e mais matérias de corrupção veiculadas na mídia, são denuncias, investigações, prisões e afastamentos.Uma política suja que já enriqueceu muitos e tirou a vida de vários.
O que podemos ver foi que nessa campanha de 2016 a máquina fez a diferença, candidatos que usaram a máquina puderam se eleger facilmente com mais de 2mil votos.

Várias pessoas expressaram sua revolta contra a corrupção, até mesmo o candidato Odorico (Rambo)
"A corrupção não é um mal partidário a corrupção é um mal coletivo e está entranhado na sociedade, pois aqueles que venceram são os mesmos que em outrora estampavam páginas policiais em escândalos de corrupção , e uma das coisas que estão em extinção a que mais me preocupa é o caráter"

 Veja a baixo alguns casos de corrupção em Parauapebas destaque na web.

 18 de Agosto de 2015: Juliana Santos ex Secretária de Educação e o ex-secretário adjunto de Educação, Shirlean Rodrigues da Costa, são presos pela POLÍCIA FEDERAL.
A dupla foi presa pela Polícia Federal no último dia 18 de agosto de 2015, em operação que investigou o desvio de recursos do transporte escolar de Parauapebas e Canaã dos Carajás. O esquema de fraudes que ultrapassa R$ 7 milhões.
A ex-secretaria JULIANA também é denunciada pela compra de livros inadequados para a rede pública municipal de educação, além de beneficiar empresas ligadas ao vereador Major da Mactra (PSDB). 

 Janeiro de 2016: Tesoureiro detalha esquema de propina na câmara de Parauapebas (Globo.com)
Segundo o MPPA, o empresário Edmar Cavalcante venceu licitações para o fornecimento de alimentos e locação de veículos para a câmara do município, entre os anos de 2013 e 2014, quando o vereador Josineto Feitosa presidia a casa. O MPPA investiga o superfaturamento dos contratos.

 26 de Agosto 2016: Candidato a prefeito Darci de Parauapebas tem R$10 milhões bloqueados pela Justiça Federal por improbidade administrativa. (Zé Dudu)
O motivo da ação por improbidade é que, segundo o MPF, há indícios de irregularidades na aplicação do contrato celebrado entre a prefeitura de Parauapebas, gestão Darci Lermen, e Geraldo J. Coan & Cia Ltda em uma licitação cujo objeto era o preparo da merenda escolar nas 30 escolas e creches municipais

08 de Setembro 2016: Operação do MP investiga fraudes na Câmara Municipal de Parauapebas (Globo.com).
Segundo o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), os contratos investigados seriam de locação de veículos e de serviço de manutenção de aparelhos de ar-condicionado. De acordo com o MP, as empresas vencedoras dos contratos na Câmara municipal de parauapebas seriam ligadas a um policial militar.

Em Parauapebas, polícia recupera postes e cabos furtados da Celpa

 
A Policia Civil apreendeu 38 postes de ferro, mais de 50 metros de cabos de alta tensão e dois transformadores de energia, nesta quinta-feira (03). O material havia sido furtado em Parauapebas, no sudeste do estado.

O material estava sendo vendido na zona rural do município. Segundo as investigações, o desvio era feito pelo funcionário de uma empresa tercerizada da Celpa, que foi preso. Outras duas pessoa que tinham comprado os transformadores também foram detidas.

 As investigações começaram depois que a empresa identificou um grande número de furtos no município nos últimos meses, no total foram mais de 200. A Celpa informou em nota que está colaborando com as investigações, e que ainda calcula o total de prejuízos (G1)

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Ação do GAECO e MPPA investiga esquema de propina em Parauapebas

 O Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) e a Polícia Militar realizam na manhã desta quinta-feira (20) uma operação para investigar um esquema de corrupção envolvendo vereadores do município de Parauapebas, no sudeste paraense.

Segundo as primeiras informações, diversos mandados judiciais estão sendo cumpridos na cidade desde às 5h, incluindo no prédio da prefeitura, da Câmara Municipal e em algumas residências. O objetivo da ação é identificar um esquema em que empresários faziam o pagamento de propina para vereadores em troca de privilégios em processos licitatórios e contratações para prestações de serviços, como obras de infraestrutura.

A investigação foi desencadeada após o MPPA ter acesso a vídeos registrando o pagamento de propinas a vereadores do município. O vídeo foi gravado pelo empresário Pedro Ribeiro e mostram a entrega de dinheiro aos vereadores Maridé Gomes da Silva (PSC), José Arenes (PT), Bruno Soares (PSD) e Charles Borges (PROS), supostamente para comprar influência na Câmara de Vereadores de Parauapebas.

Dois empresários da cidade, Hamilton Ribeiro e Pedro Ribeiro, tiveram as prisoões decretadas. Hamilton foi detido no começo da manhã, na prória casa. Já Pedro continua sendo procurado.

A Justiça decretou também o afastamento do cargo de vereador de Maridé Gomes. Ele, que foi reeleito nas últimas eleições com 1.579 votos, pode não ser diplomado em virtude dessa decisão. O vereador Charles Borges está sendo procurado e será conduzido coercitivamente até a sede do MP em Parauapebas para prestar esclarecimentos.

MARABÁ

Em Marabá, o Gaeco cumpre mandados de busca e apreensão em vários órgãos da cidade. Logo cedo pela manhã o grupo cumpriu ordem no Hospital Municipal de Marabá. 
(DOL)

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

O retrocesso social da PEC 241

 Foi aprovado, na noite da última segunda-feira (10), o texto-base da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que congela os gastos públicos do País pelos próximos 20 anos. A medida, tida como inconstitucional por alguns especialistas, afetará áreas sociais, como Educação e Saúde.

Após ser aprovada com 366 votos favoráveis, a PEC seguirá para ser votada em 2º turno na Câmara dos Deputados. A sessão decisiva está marcada para o próximo dia 24 de outubro. Caso seja sancionada novamente, será encaminhada para o Senado Federal.

A sessão da última segunda-feira (10) ocorreu com clima tenso entre os parlamentares e com a proibição dos movimentos sociais e entidades sindicais contrários à proposta nas galerias da Câmara dos Deputados.

Em nota emitida logo após o término da votação, o presidente da CUT, Vagner Freitas, denunciou a catástrofe social que ronda o país. “A PEC 241 destrói as políticas publicas, reduz os investimentos em educação e saúde, privilegiando os interesses da iniciativa privada. É um desastre que vai acabar com as conquistas sociais e trabalhistas das últimas décadas, em especial dos últimos 13 anos.”

Na avaliação do deputado Henrique Fontana (PT), se essa emenda for aprovada de forma definitiva, “o Brasil vai ter uma linha decrescente de investimentos per capita em saúde pública porque a população segue aumentando e o custo da saúde sempre cresce acima do Índice Nacional de Preços ao Consumidor/IPCA. Hoje, nós temos milhões de situações de pessoas que aguardam atendimento em saúde. O País precisa é de mais investimentos na área de saúde”, afirmou o parlamentar.
(Brasil247)

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Telefones Úteis

Cartório 1º Oficio – 3346-9819 
Conselho Tutelar: 3356-2150 
Delegacia da Mulher – 3356-3200 
DMTT – 3356-0611 Corpo de Bombeiros: 193/3356-4010 
Disque Denúncia: 3346-2250 
Fórum – 3346-1075 
Polícia Civil: 3346-8189 
Polícia Militar: 3356-1050
Procon: 3346-7252/7253 
Prefeitura – 3356-1421/1037 
OAB Parauapebas: 3346-5700 

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Supremo Tribunal Federal proíbe a tradicional prática da vaquejada

Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quinta-feira (6) derrubar uma lei do Ceará que regulamentava a vaquejada, tradição cultural nordestina. Por 6 votos a 5, os ministros consideraram que a atividade impõe sofrimento aos animais e, portanto, fere princípios constitucionais de preservação do meio ambiente.
Apesar de se referir ao Ceará, a decisão servirá de referência para todo o país, sujeitando os organizadores a punição por crime ambiental de maus tratos a animais.


O que é vaquejada?
 No nordeste as vaquejadas fazem parte da cultura e é uma disputa entre homem e animal cheia de regras, para que não haja maus tratos.
A vaquejada é uma disputa que envolve dois vaqueiros e dois cavalos contra um boi, que tem que ser derrubado para valer pontos. O vaqueiro que ferir o cavalo com esporas ou chicotes, expondo ferimento com sangue, é desclassificado. Vale a mesma regra se fizer isso com o boi, cuja derrubada requer mais técnica do que força e, o baque que ele leva dentro da faixa, qualquer um que tenha praticado futebol, já levou.
De forma que, além de gerar emprego e renda, a vaquejada é ensinamento que passa de pai para filho, de geração em geração, e faz parte da cultura do Norte e Nordeste.

domingo, 9 de outubro de 2016

Em Parauapebas, PM é preso suspeito de matar namorada


 Em Parauapebas, sudeste do Pará, um policial militar foi preso suspeito de matar a namorada.
O cabo na PM, Gleidson Maciel, está preso no 23º B batalhão da PM. Ele é suspeito de assassinar a namorada no último dia 31 de agosto.

Micaela Spinola, 22 anos, foi encontrada morta com um tiro no centro de Parauapebas. A arma do crime seria a mesma que o PM usava no trabalho. À época da morte, o policial declarou que a namorada teria se suicidado. Mas a perícia realizada no local do crime e no cadáver revelou que o caso foi um homicídio. O PM estava de férias e retornou ao trabalho este mês. Ele está preso à disposição da Justiça. (G1)

Grupo separatista quer criar novo país com estados do Sul



 Um antigo debate ideológico vem retomando força no Rio Grande do Sul em meio a uma das piores crises econômicas enfrentadas pelo estado: o separatismo político. Embalado por quatro bloqueios financeiros propostos pelo governo federal às contas estaduais, motivados por falta de pagamentos da gigante dívida do Rio Grande do Sul com a União, o movimento “Sul é Meu País” propôs à Assembleia Legislativa gaúcha um plebiscito para saber a opinião pública sobre o projeto.
O possível plebiscito está sendo minunciosamente organizado. Será realizado sem urnas eletrônicas, do modo antigo, com cédulas depositadas em urnas de lona. Segunda Celso, o modo eletrônico não é confiável, e será uma das mudanças buscadas pelo grupo: "o voto eletrônico precisa de comprovante, para permitir uma auditoria posterior".
Questionado sobre os possíveis resultados das urnas, Deuscher é enfático ao afirmar que o movimento conta com apoio de 75% de simpatizantes nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Conforme ele, são pelo menos 20 mil integrantes diretos envolvidos no processo de busca pela independência em 870 cidades nos três estados.
O grupo não tem envolvimento partidário, e explica a motivação: "nós não queremos nos envolver com a política que aí está, pois caso consigamos a independência, estaremos corrompidos pelos mesmos vícios e recriaremos um Brasil em miniatura. Nós não queremos isso", ponderou. Caso o plebiscito seja materializado, será realizado no dia 2 de outubro, em paralelo às eleições municipais de 2016.